Arranque da 3ª fase do Parque Oeste

Durante a segunda metade do mês de Março, terá início a terceira fase de execução do Parque Oeste na Alta de Lisboa, intervenção que estará concluída 18 meses após o seu início, contribuindo para uma consolidação efectiva desta zona verde de 70 hectares que constituirá após a conclusão desta fase o terceiro maior espaço verde da cidade da Lisboa, depois de Monsanto e do Parque da Bela Vista.
O Parque Oeste da autoria da arquitecta espanhola Isabel Aguirre é o maior parque urbano de raiz da Alta de Lisboa, sendo constituído por duas áreas distintas, uma mais vocacionada para o recreio informal, já parcialmente construída (FASE I) marcada por um grande lago central, que tem também uma função de controlo e amenização ambiental e outra de pendor mais desportivo, onde foi implantada uma pista de atletismo (FASE II).

É um espaço de forte presença da natureza dentro do centro urbano que pretende criar novos espaços e serviços que facilitem o contacto com a natureza e tem como uma das suas principais missões possibilitar a drenagem das águas pluviais, conseguindo-se desta forma optimizar os recursos naturais, com evidentes benefícios ecológicos e financeiros.

A execução da Fase III do Parque Oeste tem em atenção as características do terreno e a intenção em dar continuidade às fases já executadas. Neste sentido, os seus objectivos são:

  • A construção de um grande lago com cerca de 17.500 m2 de superfície, em que os seus limites são resolvidos através de “praias” e muros de gabiões, permitindo que o lago encaminhe lentamente as águas acumuladas para a rede geral de esgotos pluviais.
  • A resolução dos acessos de modo a facilitar a relação do Parque com a cidade, estendendo os trabalhos já realizados nas fases anteriores, intervindo nas ligações interiores do Parque e exteriores com a Avenida Eng. Nuno Abecassis e Malha 14
  • Evidenciar os percursos que formam a estrutura do Parque através de uma série de percursos que se entrelaçam entre si, permitindo cruzar o Parque em todas as direcções.
  • A execução de plantação de árvores ao longo dos percursos, criando sombra nos mesmos e nas zonas relvadas. Serão ainda plantados arbustos nos limites das zonas relvadas.