Poesia no Parque das Conchas

Foram inaugurados oito bancos de lusofonia no Parque das Conchas.
Trata-se de oito bancos de pedra com versos de oito poetas, um por cada país lusófono. Sobre o tema Amar o Mar, está agora inscrita na pedra a poesia de Fernando Pessoa, Corsino Fortes (Cabo Verde), Xanana Gusmão (Timor), Arlindo Barbeitos (Angola), Pascoal D’Artagnan Aurigemma (Guiné Bissau), Francisco José Tenreiro (São Tomé e Príncipe), Mia Couto (Moçambique) e Manuel Bandeira (Brasil). A iniciativa da SGAL – Sociedade Gestora da Alta de Lisboa e da Fundação Paço d’Arcos (FPA), pretende dar à cidade uma mais-valia cultural, especialmente numa zona em crescimento, para além de dotar o espaço de uma memória colectiva da nossa herança lusófona comum.Também em fase final de acordo com a Fundação Paço d’Arcos está a cedência do seu espólio de arte, que durante alguns anos ficará exposto numa galeria a construir na zona do Parque das Conchas. O projecto e área da futura galeria ficarão definidos ainda este ano.